Comparecimento surpresa do Prefeito de Natividade na Câmara causa polêmica

Em discurso passional e pouco institucional, prefeito Marcos Antonio da Silva Toledo – Taninho se limitou a reclamar da postura da oposição e disse que se fará mais presente e que de agora em diante responderá as críticas feitas ao seu governo e acompanhará mais de perto os trabalhos dos vereadores.
O Prefeito apareceu na Câmara depois de intensas cobranças dos Vereadores, de que o mesmo estava sumido e a cidade abandonada.
Segundo o Prefeito ele estava aguardando o julgamento de seu processo no Tribunal, se referindo ao processo movido pelo Ministério Público, onde ele e seu Vice e a ex Secretária de Educação, foram acusados pelo Ministério público por abuso de poder político e econômico, por que teriam usado o programa Brasil Alfabetizado, para forçar os professores, a fazerem campanha pela sua reeleição.

Neste processo o Prefeito foi condenado em primeira instância e acabou não sendo afastado do mandato por 1 voto, sendo que o Tribunal Regional Eleitoral manteve as multas de 100 mil reais para os 4 réus (A coligação de partidos que elegeu o Prefeito também é ré neste processo) e a inelegibilidade do Prefeito do Vice Prefeito e da ex- Secretaria de Educação.

O Prefeito Taninho e seu vice Wellinton Nascif, respondem ainda a outros quatro processos de Investigação Judicial eleitoral, que ainda estão em primeira instância, aguardando sentença. 
Nestes processos o Prefeito é acusado de uso indevido dos meios de comunicação, abuso de poder político e econômico e captação ilícita de sufrágio (compra de votos). 3 destas ações foram movidas pela coligação de oposição que perdeu as eleições por 254 votos e, outros  3 foram movidos pelo Ministério Público Eleitoral. Todos eles pedem a inelegibilidade do Prefeito e seu Vice, aplicação de multa e a cassação do diploma e perda do mandato eletivo.

Advogados ouvidos pela SOS CIDADANIA informaram que estes processos encontram-se em fase final na primeira instância e há expectativa de que as sentenças não demorem.

SOS CIDADANIA