Abaixada a Câmera, adeus a Santiago Andrade

Imagem: Internet
Na manhã desta segunda-feira (10fev), a morte cerebral do cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, da TV Bandeirantes foi anunciada pela Secretaria Municipal de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro. 

Mesmo este site sendo um pequeno, ou melhor, quase microscópico, veículo de comunicação, não poderíamos de render homenagem a Santiago pela bravura de está em inúmeras vezes em locais como este, isto é, colocando sua vida em risco para que muitas pessoas estivessem tendo acesso a informação.

Mesmo depois de morto Santiago nos deixa também uma lição de humanidade, seus órgãos serão doados, como era do desejo dele.

Hoje baixamos nossas maquinas, sejam fotográficas ou cinematográficas, para  rendermos esta homenagem a mais um guerreiro da imagem que se vai pela violência, pela atitude bárbara de alguns indivíduos que em vez de protestar civilizadamente, protestam com a violência, com a baderna.

Protestar é preciso no Brasil da impunidade, da corrupção, dos ladrões de várias espécies. Mas não podemos deixar que se ceifem vidas inocentes, que estavam na hora certa, mas no lugar errado, apenas para poder levar ao mundo a realidade de muitos.

Como aconteceu

Imagem: Internet

Enquanto registrava o confronto entre manifestantes e policiais durante protesto contra o aumento do preço do ônibus, no Centro da cidade, ele foi atingido na cabeça por um artefato explosivo.


Andrade sofreu afundamento do crânio e foi submetido a uma cirurgia após ser levado para o Hospital Souza Aguiar. Desde então, estava em coma induzido.

A explosão foi registrada fotógrafos, cinegrafistas e câmeras de vigilância instaladas no Centro do Rio. Após a divulgação das imagens, o tatuador Fábio Raposo se apresentou na 17ª DP (São Cristovão) no sábado (8fev) e confirmou à polícia ter passado o rojão ao homem que acendeu o artefato que atingiu o cinegrafista.

Imagem: Internet

O rapaz disse, em depoimento, não conhecer o suspeito de lançar o rojão em meio à manifestação.


No domingo (9fev), após ter o mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio, Fábio Raposo foi detido em casa e levado para a cadeia pública de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

A polícia pedirá que seja feito um retrato-falado na tentativa de identificar e localizar o responsável.

Carreira

Imagem: Internet

Experiente, Santiago trabalhava havia 10 anos na Band, onde participou de diversas reportagens sobre as dificuldades enfrentadas pelos usuários de transporte público na cidade.


A cobertura jornalística do tema – que motivou o início dos protestos no Rio em 2013, após o anúncio
do reajuste da tarifa de ônibus – lhe rendeu dois prêmios jornalísticos de Mobilidade Urbana, em 2010 e 2012, ao lado do repórter Alexandre Tortoriello.

Desde 2013, ele registrou para a TV Bandeirantes diversas manifestações na cidade e estava escalado para participar da cobertura jornalística da Copa do Mundo este ano.

Leiam...

CARTA DE VANESSA ANDRADE, filha de Santiago Andrade.

"Meu nome é Vanessa Andrade, tenho 29 anos e acabo de perder meu pai.

Quando decidi ser jornalista, aos 16, ele quase caiu duro. Disse que era profissão ingrata, salário baixo e muita ralação. Mas eu expliquei: vou usar seu sobrenome. Ele riu e disse: então pode!

Quando fiz minha primeira tatuagem, aos 15, achei que ele ia surtar. Mas ele olhou e disse: caramba, filha. Quero fazer também. E me deu de presente meu nome no antebraço.

Quando casei, ele ficou tão bêbado, que na hora de eu me despedir pra seguir em lua de mel, ele vomitava e me abraçava ao mesmo tempo.

Me ensinou muitos valores. A gente que vem de família humilde precisa provar duas vezes a que veio. Me deixou a vida toda em escola pública porque preferiu trabalhar mais para me pagar a faculdade. Ali o sonho dele se realizava. E o meu começava.

Esta noite eu passei no hospital me despedindo. Só eu e ele. Deitada em seu ombro, tivemos tempo de conversar sobre muitos assuntos, pedi perdão pelas minhas falhas e prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós. Ele estava quentinho e sereno. Éramos só nós dois, pai e filha, na despedida mais linda que eu poderia ter. E ele também se despediu.

Sei que ele está bem. Claro que está. E eu sou a continuação da vida dele. Um dia meus futuros filhos saberão quem foi Santiago Andrade, o avô deles. Mas eu, somente eu, saberei o orgulho de ter o nome dele na minha identidade.

Obrigada, meu Deus. Porque tive a chance de amar e ser amada. Tive todas as alegrias e tristezas de pai e filha. Eu tive um pai. E ele teve uma filha.

Obrigada a todos. Ele também agradece.

Eu sou Vanessa Andrade, tenho 29 anos e os anjinhos do céu acabam de ganhar um pai."